BLOG

Gestão de Resíduo

No Brasil, mais de 100 milhões de pessoas não têm acesso à coleta de esgoto

Em seu último levantamento, o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento divulgou dados sobre a situação nas regiões brasileiras, identificando que apenas metade dos brasileiros tem acesso à coleta de esgoto. Isso significa que mais de 100 milhões de pessoas utilizam medidas alternativas para lidar com os dejetos, seja através de fossa, seja jogando o esgoto diretamente em rios.

Na região Norte do país a situação é ainda mais preocupante: menos de 50% da população é atendida por abastecimento de água, e apenas 7,4% por esgoto. Em todo país, apenas duas capitais estão entre as melhores cidades no quesito saneamento: Belo Horizonte e Curitiba. Santos e Franca, ambas em São Paulo, foram os outros municípios a alcançarem 100% de qualidade em saneamento.

Saneamento

O saneamento visa cuidar da saúde da população, fornecendo o abastecimento de água potável, a coleta e tratamento de esgoto, a limpeza urbana e outras atividades relacionadas ao bem estar físico, mental e social.

É inquestionável a importância do comprometimento de todos os atores sociais na viabilização e manutenção do saneamento nos municípios, incluindo o poder público, empresas do setor privado e a sociedade civil. Segundo o Instituto Trata Brasil, mais de 3,5 milhões de brasileiros, nas 100 maiores cidades do país, despejam esgoto irregularmente, mesmo tendo redes coletoras disponíveis.

Diego Camelo, Engenheiro Ambiental da Allonda, fala sobre a importância da concretização da lei do Saneamento 11.445/07, que prevê a universalização da coleta, tratamento e fornecimento de água e esgoto tratado para toda população até 2033, mas garante que, no cenário atual, não será possível atender a esse marco.

“Pesquisas da Confederação Nacional da Indústria apontam que alcançaremos a universalização do abastecimento de água somente em 2043 e do esgotamento sanitário em 2054”, comenta Diego. Dados do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento revelam ainda que apenas 40% dos esgotos do país são tratados e a média das 100 maiores cidades brasileiras em tratamento dos esgotos foi de apenas 50,26%.

Soluções ambientais para saneamento – ETA

A água que utilizamos nas mais diversas atividades diárias é captada dos rios, lagos e represas por meio de bombas. No entanto, ela vem com folhas, galhos, lodo, bactérias e todo tipo de sujeira. Para que possa ficar pura, sem gosto, cheiro ou cor, a água passa por um processo de limpeza, conhecido como ETA – Estação de Tratamento de Água, cujas etapas são:

  • Captação: Após a captação em rios, lagos e represas, a água é levada por grossas tubulações, também chamadas de adutoras, para as estações de tratamento de água.

  • Bacia de Tranquilização: A primeira função desse tanque é reduzir a velocidade da água, que normalmente se encontra sob muita pressão ao chegar à ETA. Em seguida, ela passará por um momento inicial de limpeza para eliminação de detritos sólidos maiores. Além disso, a água recebe cloro para matar vírus, bactérias e outros microorganismos. Os metais presentes também são dissolvidos.

  • Floculação: Nesta terceira etapa, a água passa por canais de coagulação, onde recebe sulfato de alumínio líquido, que serve para desestabilizar as partículas de sujeiras.

  • Decantação: Nos decantadores, a água fica por cerca de 90 minutos, o tempo necessário para que os flocos se depositem no fundo, livrando a água de boa parte de suas impurezas sólidas.

  • Filtragem: Os filtros são formados por camadas de carvão, areia, pedregulho e cascalho. A sujeira que restou na fase de decantação fica aprisionada nessa etapa de filtragem.

  • Desinfecção: Nesta última etapa, a água passa por três momentos distintos e complementares: cloração, alcalinização e fluoretação.

  • Distribuição: Após todo o processo de tratamento, a água é levada por grandes tubulações para reservatórios elevados nos bairros, onde é distribuída para a população.

No saneamento, as Estações de Tratamento são imprescindíveis para que a água chegue aos lares em condições adequadas, conforme o padrão de potabilidade vigente no país. Por isso, a escolha de um projeto adequado é essencial para que todo o processo seja realizado de maneira segura, sem perdas e problemas operacionais.

Conheça algumas soluções ambientais da Allonda para Estações de Tratamento de Água e Esgoto:

“Os serviços da Allonda para Saneamento respeitam as legislações vigentes do setor. Podem ser de caráter emergencial ou preventivo e interferem diretamente na eficiência do tratamento”, explica Diego Camelo ao reforçar que são feitos sob medida, conforme cada tipo de operação. Quer saber mais? Entre em contato.

Artigos Relacionados

Acompanhe notícias e tendências do mercado ambiental

Veja mais

Assine nossa newsletter para receber novidades da Allonda!