A má gestão dos resíduos industriais vai muito além de não classificar, separar e fazer a destinação correta, é uma oportunidade de negócio muitas vezes desperdiçada. 

Realizar o gerenciamento de resíduos de forma correta é importante não apenas aos olhos da lei. Ele ultrapassa esse escopo, interferindo no meio ambiente e em todo ecossistema, e em muitos casos, se tornando um diferencial competitivo dos negócios.

Ao conhecer o processo de gerenciamento, você começa a perceber que o que antes era um custo logístico ou até mesmo um passivo ambiental, pode se tornar uma nova fonte de renda ou economia. É importante evidenciar que na maioria das vezes, o descarte não é a última opção para um resíduo. 

Pensando nisso, vamos abordar neste conteúdo tópicos que vão ajudá-lo a entender esse tema, trazendo clareza e novas possibilidades para sua indústria. 

No fim da leitura, você estará pronto para mudar beneficamente os rumos da sua produção, e entender como é possível rentabilizar itens que antes seriam descartados!

Entenda o ciclo de vida de um produto na indústria e sua importância

O ciclo de vida de um produto passou a ter destaque no ano de 2000. O termo surgiu na década de 60 e foi útil para entender como cada ação pode gerar algum impacto. Hoje, existe uma norma ISO para acompanhar o processo.

Ações para reutilização e diminuição da geração de resíduos devem estar presentes em todas as fases do ciclo. Dessa forma você faz com que seus insumos deixem de seguir um processo linear e passem para um circular, em que no lugar de ir para o descarte o resíduo entra em um novo ciclo, que pode ser reciclagem, reuso ou remanufatura, por exemplo.

Nesse sentido, é fundamental que sua indústria esteja alinhada com boas práticas no que se refere ao gerenciamento de resíduos. Isso além de mostrar que você e seu negócio são responsáveis socialmente, evidencia que acompanham as transformações do mundo, mantendo-os na vanguarda do mercado.

Além disso, esse gerenciamento é, antes de tudo, uma questão de consciência ambiental, que precisa passar pela lei, no que tange o seu cumprimento. 

É válido mencionar que com os avanços nos debates ambientais, muitas vezes acalorados e vigiados com o auxílio da tecnologia, os consumidores estão mais atentos aos processos gerais das indústrias, se atentando às práticas sustentáveis — ou a falta delas.  

Em quais categorias os resíduos podem ser divididos?

Os resíduos podem ser divididos em industrial, agrícola, hospitalar e urbano. O mais comum é o urbano, também conhecido como lixo, que é oriundo de casas, escolas, empresas e comércios. 

Os hospitalares resultam dos tratamentos e procedimentos realizados em hospitais, clínicas e farmácias. Estes precisam de uma destinação específica, por influenciarem diretamente na saúde de quem tem contato com eles. 

Existem também os resíduos agrícolas, causados por atividades ligadas ao agronegócio, e os industriais, gerados na cadeia produtiva. Estes últimos possuem alto potencial de reaproveitamento, desde que bem gerenciados.

Os resíduos industriais, advindos de variados segmentos como o metalúrgico, petroquímico e de mineração, são o resultado das sobras do processo de produção. Podem ser classificados em I, onde possuem substâncias tóxicas, corrosivas ou inflamáveis, ou II, que são caracterizados por combustão, ou seja, solúveis em água ou biodegradáveis.

Já falamos em outro conteúdo do blog sobre a gestão destes resíduos, mas vale reforçar que é essencial que eles passem por um tratamento antes do seu descarte, no intuito de encontrar oportunidades de reutilização, além de prevenir agravantes na saúde humana e impactos nos recursos ambientais.

Em uma pesquisa realizada em 2020 pela Allonda, 21% das indústrias respondentes, sinalizaram que o gerenciamento de resíduos tem ganhado protagonismo nas empresas.

Para onde vão os resíduos industriais e quais os impactos do descarte incorreto?

É necessário entender que os resíduos da indústria podem afetar o solo, contribuir para a disseminação de doenças e reduzir a produção agrícola. Em rios e mares podem provocar a mortandade de peixes e plantas, reduzir o índice de oxigênio e alterar a temperatura da água.

Além desses severos impactos, gases tóxicos podem ser distribuídos pela atmosfera, gerando poluição que, como consequência, pode afetar a população que entra em contato através do ar, por exemplo. Com isso, doenças respiratórias como rinite, além de alterações neurológicas são passíveis de surgimento. 

Uma prática comum é o descarte em aterros. Nossa pesquisa também mostrou que apenas 4 em cada 10 empresas possuem metas de aterro zero. Destas, 48% classificam o gerenciamento de resíduos como demanda estratégica.

Quais são as iniciativas de gerenciamento de resíduos?

Para falar de boas iniciativas é preciso citar o conceito de economia circular, pouco utilizado pela maioria das empresas no Brasil. Ele tem como objetivo principal minimizar os impactos das ações humanas no meio ambiente através de um modelo que busca reduzir, reutilizar, recuperar e reciclar materiais e energia. 

Como a gestão dos resíduos é algo que necessita da elaboração de um projeto eficiente e demanda tempo, é comum as indústrias recorrerem a empresas especializadas em realizar esse processo.

Desse modo, fica viável focar no propósito da sua indústria sem negligenciar uma etapa imprescindível da operação.

No Brasil, há uma legislação em vigor, o Plano Nacional de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, que “estabelece as diretrizes, responsabilidades, princípios e objetivos que norteiam os diferentes participantes na implementação da gestão e gerenciamento de resíduos sólidos.”

Nesse Plano, é apresentado como cada tipo de resíduo deve ser tratado, afinal, existem particularidades de acordo com os materiais a serem descartados. 

Aliás, você sabe exatamente quais os tipos de itens que descarta na sua indústria? Qual é a matéria-prima? E qual é a origem dela? É de fácil acesso? 

Se certificar de ter as respostas para essas indagações pode ajudá-lo a entender mais sobre o assunto e na elaboração de um plano para gerenciamento de resíduos, caso ele ainda não exista no seu negócio.

E então?

Neste conteúdo falamos sobre o ciclo de vida do produto, sua importância, quais são os tipos de resíduos e para onde eles vão quando são descartados. E ainda, o impacto do descarte incorreto e questões relacionadas às iniciativas para o gerenciamento de resíduos.

Como você pôde perceber, o gerenciamento de resíduos não é simples, mas se você pesquisar vai notar que a execução de um plano com foco na redução da geração e reutilização em novos ciclos é o caminho cada vez mais seguido por indústrias de todos os segmentos, em especial as que sabem que geram grandes impactos com suas produções no meio ambiente.

Se você quer continuar atualizado sobre insights e tendências do setor, clique abaixo e se inscreva gratuitamente em nossa newsletter!

Assine nossa newsletter