A gestão de custos é um ponto que merece atenção, já que envolve todos os setores da indústria. Devido aos processos acelerados de produção e demandas – que podem oscilar conforme o mercado – alguns pontos podem passar despercebidos.

Desta forma, esse controle se torna essencial, principalmente quando o objetivo é crescimento no mercado ou mesmo garantir que a indústria esteja estruturada para lidar com situações imprevistas – como o impacto gerado pela pandemia da Covid-19.

Para se certificar que a gestão de custos está sendo realizada com eficácia e entender quais pontos podem ser otimizados, separamos algumas dicas para ajudá-lo nesta etapa!

1 Gestão de custos: tenha clareza sobre os objetivos da indústria

Os objetivos precisam estar claros para todos os departamentos e neste caso, onde o foco é a gestão de custos, ele se faz ainda mais importante, já que serve como um balizador para entender o que cada gasto representa no orçamento e se as aquisições estão sendo assertivas.

Isso possibilita que você tenha mais clareza se o lucro que está sendo alcançado é suficiente para garantir a estabilidade ou mesmo o crescimento da indústria.

Nesse sentido, com o objetivo claro e um acompanhamento detalhado das entradas e saídas, é possível pensar estrategicamente em como reduzir os custos sem perder a qualidade nos materiais, insumos e serviços adquiridos.

2 Aplique o Just in Time

Você conhece a filosofia do Just in Time? Ela busca produzir a quantidade necessária para atender a demanda, comprando matéria-prima no momento correto e entregando o produto no prazo determinado. Isso diminui o risco de acúmulo de estoque desnecessário e torna ágil o processo. 

Esse tipo de aplicação funciona bem em negócios que operam sob demanda, sendo necessário primeiro vender o produto para depois comprar o material de sua fabricação.

3 Utilize o sistema de gestão para fazer a análise de custos

A tecnologia pode e deve ser sua aliada na gestão de custos. Com um grande volume de informações para serem gerenciadas sobre insumos, equipamentos, mão de obra, energia elétrica e demais questões que são essenciais para as atividades da indústria, é primordial contar com um sistema de gestão para centralizar tudo isso. Assim temos a centralização dos dados.

Com tudo sendo controlado através de um software, é possível analisar os custos por período, ficando mais fácil identificar onde e em qual frente se está gastando mais ou mesmo onde precisa de um maior investimento. 

Também é importante que com um sistema de gestão seja feito o monitoramento do PCC, que são os pontos críticos de controle, essenciais para evitar ou eliminar riscos à segurança alimentar. 

Além disso, o histórico pode fornecer informações valiosas, principalmente a respeito do retorno sobre o investimento e pode tornar mais eficaz a tomada de decisão em ações futuras, já que tudo estará pautado no histórico.

Assine a newsletter

4 Diferencie os custos de cada projeto

Ter noção do que é verdadeiramente relevante para o negócio possibilita focar no que realmente agrega valor. Dito isto, é preciso saber diferenciar os custos que sustentam o negócio daqueles que apenas servem como soma indispensável e não orientam aos objetivos macro. 

Com um custo de mercado, de visibilidade e um cálculo de custo de venda, esse processo se torna mais eficaz, além de direcionar à indústria para uma sustentabilidade econômica. 

Para a gestão de custos, considere fatores como mão de obra, gastos com equipamentos e matéria-prima utilizada, todos essenciais para a produção. 

Além disso, para tornar o empreendimento mais competitivo perante ao mercado, é válido pensar em alternativas para a redução de custos. 

Uma opção quanto a isso é fazer o acompanhamento de perdas de produtos ao final da produção, outra é aproveitar os produtos com defeitos no final da linha. Deste modo, a sua área ainda é capaz de se destacar da concorrência no quesito sustentabilidade. 

5 Controle de fluxo de caixa

Mesmo que isso já faça parte da rotina da indústria, é válido reforçarmos a relevância de um controle contínuo e detalhado do fluxo de caixa.

Na prática, esse acompanhamento deverá ser diário, mas caso não seja possível, três vezes na semana já pode ajudar. Quanto à frequência, é válido avaliar o volume de informações que precisam ser analisadas e controladas. Caso seja muito expressivo, é fundamental aumentar os dias de verificação para não deixar nenhuma informação se perder no caminho.

Como citamos acima, o software de gestão pode ajudar a evitar problemas para gerir essas informações, já que tudo ficará centralizado em um único lugar. Nesta etapa é válido observar ainda se a ferramenta para gerar relatórios está direcionada para o acompanhamento das informações em tempo real.

Contudo, a nutrição e mapeamento dessas informações semanalmente é fundamental para entender onde se está investindo, se está sendo assertivo e quais ajustes precisam ser feitos para equilibrar o fluxo de caixa e tornar a operação da indústria mais rentável.

6 Tenha visão de dono

Você pode até fazer uma boa gestão de custos da indústria, investir nos melhores materiais e serviços, mas se não tiver visão de dono, a probabilidade dos problemas surgirem é grande. 

É preciso realizar compras assertivas, priorizando a relação de custo-benefício, mas sem abrir mão da qualidade em toda a gestão.

Trata-se de analisar e mapear onde pode ser economizado, onde a economia irá trazer prejuízos maiores futuramente, como pode ser negociado com fornecedores de forma a beneficiar o setor e consequentemente todas as outras frentes do negócio, não só com redução de custos, mas também com ganho de valor agregado.

E então?

Neste conteúdo você viu algumas sugestões de ações que podem contribuir para a gestão de custos da sua indústria.

Algumas delas você provavelmente já coloca em prática, mas é indicado analisá-las com frequência para garantir que esse processo está alinhado e que boas práticas estão sendo realizadas para tornar a gestão ainda mais eficiente.

Se você quer continuar se atualizando sobre assuntos do setor, confira nosso conteúdo do blog sobre Principais tendências sustentáveis no setor de alimentos e bebidas