Mesmo a água sendo considerada abundante no Brasil, a desigualdade relacionada à sua disponibilidade em determinadas regiões é significativa, ou seja, muitas vezes estados que possuem mais habitantes e uma atividade industrial maior recebem menos água, comparando-se a estados com menos atividades industriais e uma população pequena.

A relação entre oferta e demanda de água no Brasil também já dá sinais de desequilíbrio em algumas regiões, de acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), a atividade agropecuária a principal responsável pelo uso da água, ou seja, 70% deste recurso consumido no mundo é utilizado na irrigação das lavouras, número que se eleva para 72% no caso do Brasil.

Em seguida vem a atividade industrial, que é responsável por 22% do consumo de água no mundo e, por último, o uso doméstico, que é responsável por cerca de 8% de toda a utilização dos recursos hídricos.

Outro ponto importante, é que períodos de secas prolongadas têm levado diversas regiões do país, inclusive grandes áreas urbanas, ao desabastecimento de água, o que gera consequências preocupantes para o bem-estar da população e para a atividade econômica.

Diante deste cenário, as pessoas assim como as empresas têm olhado com mais atenção para a Gestão da Água e, no caso do setor da indústria, muitas medidas estão sendo adotadas para economizar, reciclar e conter o desperdício deste recurso. Entre as principais recomendações contidas no estudo da CNI está o incentivo à eficiência no uso da água por meio de soluções de infraestrutura e tecnologias, assunto que falaremos com mais detalhes a seguir!

Planejamento de Operações de Gestão Hídrica

Antes de optar por qualquer solução ou realizar uma operação, é essencial fazer um Planejamento de Operações de Gestão Hídrica, que são documentos que definem a agenda de uma região, incluindo informações sobre ações de gestão, projetos, obras e investimentos prioritários. Além disso, fornecem dados atualizados que contribuem para o enriquecimento das bases de dados de órgãos públicos como a ANA.

Realizar um Planejamento de Operações de Gestão Hídrica eficiente e que atenda às legislações vigentes, como é o caso da PNRH (Política Nacional de Recursos Hídricos),  é essencial, visto que problemas durante essa etapa podem ser decisivos e resultar em falhas nos futuros projetos, operações, expansão e investimentos, impactando diretamente na qualidade da água que abastece residências e indústrias.

Além disso, Projetos e Operações de Gestão Hídrica demandam equipes multidisciplinares para que atuem em conjunto no desenvolvimento da melhor solução para todas as etapas. Portanto, é essencial estar presente as seguintes áreas da engenharia:

  • Processos, para a definição da estratégia e das tecnologias a serem aplicadas.
  • Civil, pois define como o processo será implementado.
  • Tubulação e Mecânica, porque é responsável pela planta geral, locação de equipamentos e detalhamento das linhas, além da lista e folha de dados de equipamentos, desenhos e detalhamento dos equipamentos.
  • Elétrica e Instrumentação, que realizam os cálculos e lista de cabos, plantas, especificação de motores e painéis, diagramas, especificação de instrumentos, aterramento entre outros.
  • O&M (Operação e Manutenção), para operar e assegurar a manutenção da unidade ou do processo implantado, garantindo a eficiência e disponibilidade dos equipamentos no menor custo para o usuário final.

Soluções Inteligentes

A boa notícia é que a indústria tem feito esforços significativos e constantes para o uso mais eficiente de água nos seus processos produtivos, utilizando tecnologias para aumentar a eficiência no uso da água e, principalmente adotando a técnica de reuso, que, segundo a CNI, já chega a quase 100% em algumas indústrias. 

Outro levantamento da CNI juntamente com o Instituto FSB Pesquisa, revela que entre as 500 médias e grandes empresas entrevistadas, quase 90% adotam ações para reduzir o desperdício de água e energia, e 75% implementam processos para diminuir ou eliminar a poluição do ar ou da água.

Abaixo separamos as principais soluções de Gestão Hídricas utilizadas atualmente pelas indústrias e que fazem parte do portfólio do Grupo Allonda. Confira:

ETA (Estação de Tratamento de Água)

Geralmente, a indústria devolve para a natureza parte da água que utiliza, mas vale destacar que isso deve ser feito de uma forma adequada para que não cause impactos negativos ao meio ambiente e à saúde da população. Desta forma, é fundamental projetar um sistema de tratamento eficiente antes do descarte. 

O dióxido de carbono, por exemplo, é uma solução ecológica que tem sido amplamente usada para tratar água, assim como efluentes, pois substitui produtos químicos utilizados na redução de pH, destacando-se como uma solução ambientalmente adequada. 

O oxigênio, por sua vez, costuma ser utilizado como gás para gerar ozônio e promover a desinfecção da água, evitando resíduos químicos e, ao mesmo tempo, controlando o crescimento de microrganismos em sua operação.

As ETAs oferecem inúmeras soluções para diferentes segmentos da indústria, a partir do desenvolvimento de projetos customizados para cada processo de produção, que possibilitam a setorização de medição de consumo e a redução de perdas de linha de transporte do recurso. 

Entre as tecnologias que o Grupo Allonda oferece, também podemos elencar o  tratamento de água  de fontes como rios, mananciais, poços e a partir da drenagem das chuvas, cuja finalidade é entregar água potável para consumo humano e produção industrial de acordo com os parâmetros estabelecidos pelos órgãos de vigilância.

ETE (Estação de Tratamento de Efluentes)

Cada efluente possui particularidades que são resultantes de processos produtivos nos quais a água é utilizada. Ao projetar, implementar e operar estações de tratamento de efluentes, o Grupo Allonda também realiza os tratamentos biológicos, aeróbicos, anaeróbicos e físico-químicos, que têm como objetivo reduzir e até eliminar o volume, concentração ou toxicidade de cargas poluentes na água. 

Esta é uma solução que oferece a possibilidade de reutilizar a água resultante em outro processo produtivo e, se for possível, em outras atividades como limpeza e irrigação, contribuindo assim para a diminuição da necessidade de utilizar água nova.

Reuso da Água

O Reuso da Água tem sido uma das soluções mais utilizadas pelo setor industrial, visto que nem todos os processos dependem do uso de água potável. O reuso da água pode servir para abastecer um sistema de combate a incêndios ou no ajuste de pH, por exemplo. Além disso, é necessário adotar medidas para que a água seja aproveitada mais de uma vez em diferentes processos industriais

A captação da água da chuva e a instalação de torres de refrigeração para a reciclagem, com um circuito de refrigeração eficiente, também são maneiras efetivas de reaproveitar o recurso. De acordo com a CNI, setores como o siderúrgico, automobilístico e de máquinas e equipamentos já reutilizam mais de 90% da água que consomem.

Economia Circular

Por fim, citaremos aqui a Economia Circular, que embora seja amplamente conhecida por seu papel no Gerenciamento de Resíduos Sólidos, muitas vezes é esquecida quando o assunto é Gestão Hídrica, porém o conceito, não só pode, como deve ser aplicado para esta finalidade. Vamos entender!

Os 5Rs – Reduzir, Reusar, Reciclar, Restaurar e Recuperar também podem comtemplar a água, tanto é que foram estabelecidos pela IWA (International Water Agency) para consolidar formas de ações que levarão à Economia Circular, estimulando desde a eficiência na gestão, até a restauração de ecossistemas e recuperação da qualidade da água que atende tanto as indústrias quanto a sociedade.

A Economia Circular neste caso se aplica quando ao invés de descartar as águas residuais, a indústria promove um novo tratamento e a reinsere no sistema para reduzir uma nova captação. É uma alternativa interessante usar o recurso em circuitos fechados ou circulando várias vezes em sistemas antes de ser tratada novamente e descartada.

Algumas formas de aplicar a Economia Circular na Gestão da Água

  • Trabalhar com processos naturais e investir em estratégias holísticas de longo prazo para gerenciar as bacias hidrográficas e reduzir a necessidade de desenvolvimento de novos ativos de infraestrutura
  • Ver o desperdício como uma oportunidade, como é o caso da hidrólise térmica que reaproveita o lodo para gerar energia
  • Criar centros de armazenamento e reciclagem
  • Fazer os materiais durarem mais, através de meios filtrantes de resíduos em estação de tratamento de águas residuais, por exemplo

Grupo Allonda: construindo um mundo mais sustentável

Melhorar a eficiência do uso da água, seja superficial ou subterrânea, implementar princípios e práticas ESG nas indústrias e contribuir com a luta contra a escassez da água é fundamental para construirmos um futuro mais sustentável! 

O Grupo Allonda desenvolve diversas soluções para melhorar e reduzir o consumo deste recurso em diversos setores da indústria (Alimentos e Bebidas, Mineração, Agronegócio, Papel e Celulose, Química, Óleo e Gás etc.), além de trazer novas fontes de recursos. 

Atuamos em todo o ciclo da água, com grande expertise na gestão sustentável  dos recursos hídricos, executando projetos de grande porte em diversos estados do Brasil e América Latina. Nossa alta capacidade de propor soluções rápidas, inovadoras e inteligentes, que gerem valor compartilhado e, além de cuidarem deste recurso valioso, reduzam custos e tornem o processo produtivo mais eficaz, fazem com que nossos projetos de gestão da água sejam conhecidos pelos seus grandes diferenciais.