BLOG

Indústria de Papel e Celulose – Como seria o seu Natal sem papel?

A família toda reunida, diversos presentes debaixo da árvore de Natal e muita expectativa para o momento de trocar os presentes. Alguém pega o primeiro objeto, uma pequena caixa embrulhada em um lindo papel colorido. Ao abrir, lá dentro está outro pacote ainda menor feito de papel sanfonado, acompanhado de um cartãozinho impresso em papel couché. O presente é um livro manual e personalizado, com acabamento em papel cartão, repleto de declarações, post its, fotografias e recortes. Emocionada, a mãe abre os braços e recebe um forte e demorado abraço de seu filho.

Essa cena faz parte do nosso imaginário, está presente nos filmes, novelas e comerciais de TV. Mas provavelmente poucas vezes notamos a presença da indústria de papel e celulose neste momento emblemático. Sem ela, debaixo da árvore de Natal haveria apenas objetos expostos, desfazendo toda a magia que existe em surpreender quem amamos. Como poderíamos registrar nossos sentimentos sem os lindos cartões? O papel nos acompanha todos os dias, faz parte da história da humanidade e permite que momentos sejam eternizados.

Agora que percebemos a presença desta indústria, que tal sabermos um pouco mais sobre ela?

A indústria do papel e celulose no Brasil

O Brasil é o quarto maior produtor de celulose do mundo, com uma fabricação de 18,77 milhões de toneladas no último ano, aproximando-se até mesmo da China, que ocupa a vice-liderança da indústria. É um dos segmentos industriais mais competitivos do país, com um padrão de qualidade equivalente aos melhores do mundo, atuando num mercado globalizado e extremamente ativo. Já somos líderes globais em uma especialidade, a celulose de eucalipto (fibra curta).

Os papéis para imprimir/escrever são os grupos de produtos mais relevantes para a indústria brasileira de papel. E devido às melhorias nas condições de higiene e saúde em âmbito mundial, e o crescente número de pessoas a sair das condições de pobreza absoluta, o consumo de papéis sanitários (tissue) deverá continuar crescendo em todo o mundo.

E os impactos ao meio ambiente?

O consumo de água durante o processo de fabricação da celulose e papel é considerado alto, pois é parte fundamental no transporte das fibras, reagentes químicos e calor. A geração de efluentes é também significativa, sendo estes contaminados com materiais orgânicos e íons minerais.

A água de reuso gerada após o tratamento dos efluentes deve ser devolvida em condições de utilização pré-determinadas por lei, visando causar o menor impacto possível no meio ambiente e na vazão e qualidade dos cursos de água. É também nessa etapa que a Allonda entra para tratar, monitorar e gerenciar os efluentes antes e após tratamento.

Quais são as soluções?

As principais ações para minimização dos efeitos do consumo de águas e geração de efluentes pelo setor de fabricação de celulose e papel partem das estratégias gerenciais e tecnológicas:

  • Redução do consumo específico da água pelos produtos sendo fabricados;

  • Tratamento dos efluentes;

  • Gestão ambiental dos recursos hídricos;

  • Monitoramento biológico, físico e químico.

O fato é que a indústria de papel e celulose está presente em quase tudo no cotidiano. O jornal que lemos, o trabalho da faculdade que imprimimos, o documento que guardamos, a caixa na qual mantemos nossos pertences, a revista que compramos e tantas outras formas em os produtos deste setor aparecem no nosso dia a dia.

A Allonda compreende a importância desta indústria para a economia do país, assim como é consciente de seus impactos ao meio ambiente. Pensando nisto, desenvolvemos soluções sistêmicas e sustentáveis visando vantagens ambientais, sociais e econômicas. Para saber mais, conheça o trabalho realizado pela Allonda.

Artigos Relacionados

Acompanhe notícias e tendências do mercado ambiental

Veja mais

Assine nossa newsletter para receber novidades da Allonda!