Tratamento e desidratação de lodo

Os processos de desaguamento ou desidratação e secagem de lodo servem para diminuir o volume de resíduo gerado, reduzindo consideravelmente os custos de destinação e transporte deste material, contribuindo para manter a sustentabilidade do empreendimento.

Fazer uso de uma ou mais tecnologias pode ampliar o fornecimento de água tratada para a população, melhorar a eficiência de tratamento, diminuir custos com transporte, energia, produtos químicos e tempo de operação, entre outros benefícios. Nesta área, as possibilidades são infinitas, dependendo especificamente da capacidade de inovação e da criatividade – duas coisas que a Allonda tem de sobra. Nosso vasto know how em soluções ambientais de tratamento de lodo abrange diversas rotas tecnológicas, sempre adequando a melhor solução para cada caso.

Tratamento de lodo por geossintéticos

É um processo de desidratação mecânico em que o lodo é bombeado para o interior de grandes sacos cilíndricos feitos com tecido geotêxtil poroso de alta resistência. Os sólidos do lodo ficam retidos e a água livre é continuamente removida através dos poros do tecido. Funciona como uma filtração sob pressão, promovida pelo bombeamento contra a resistência realizada pelas paredes do tecido.

Normalmente, para melhorar a qualidade da água percolada é necessário fazer a dosagem de produtos químicos, como coagulantes e/ou floculantes. O teor de sólidos no final do processo de enchimento destas geobags é bastante variável em função das características do material sólido a ser desidratado e do tempo em que ele fica dentro do recipiente após a finalização do bombeamento.

Conheça as principais vantagens do processo de tratamento e desidratação de lodo por geossintéticos:

  • Baixo custo de implantação e operação;
  • Alto volume de contenção com redução volumétrica acelerada;
  • Facilidade para remoção do lodo desidratado;
  • Economia com destinação e transporte de resíduo;
  • Sem complicação mecânica, requer pouca manutenção;
  • Atende pequenos e grandes sistemas de tratamento de lodo;
  • Não requer equipamento especial;
  • O tamanho é customizado para o local de uso.

Tratamento de lodo por decanter centrífugo

Neste processo de desidratação mecânico, o resíduo é bombeado a baixa pressão e previamente condicionado pela adição de produtos químicos (normalmente floculantes), produzindo duas correntes: o lodo desaguado e água clarificada, também chamada de centrado. O decanter centrífugo é formado por um tambor em formato cilíndrico, um espiral transportador e engrenagens que realizam a rotação necessária para o isolamento dos elementos. A rotação chega a aproximadamente 2.500 G – ou seja, 2.500 vezes mais do que a força gravitacional.

Pela ação da força centrífuga decorrente da rotação do tambor e do espiral transportador, os sólidos mais pesados são levados às paredes internas do tambor, enquanto a fase líquida escoa para a extremidade oposta, de onde é retirada e retorna ao início do tratamento da ETA ou ETE. Os sólidos separados são arrastados pela ação de um parafuso sem fim para a extremidade cônica, de onde é retirada a torta seca.

O parafuso gira numa rotação ligeiramente inferior a rotação do tambor. Decanters centrífugos podem ainda ser equipados com inversores de frequência que modulam a rotação tanto do tambor quanto do espiral transportador para melhorar a eficiência de separação e produzir um centrado de melhor qualidade.

Veja as principais vantagens do tratamento e desidratação de lodo por geossintéticos:

  • Processo mecanizado e contínuo;
  • Baixo custo de mão-de-obra;
  • Alta vazão de alimentação.

Tratamento de lodo por torre de desidratação

A torre de desidratação é totalmente desenvolvida e patenteada pela Allonda. Reconhecidamente um equipamento de energia limpa, possui baixo consumo energético na comparação com outras tecnologias que também têm como função o tratamento de lodo.

Esta solução é aplicável a todos os tipos de efluentes industriais, e também para resíduos do agronegócio. É o único equipamento hoje que reutiliza o bag vertical geossintético diversas vezes em sua operação. Tem design compacto e vertical que exerce simultaneamente as funções de contenção da massa de sólidos e drenagem dos líquidos, o que proporciona alta eficiência na contenção e desidratação de massa sólida.

Este é um produto inovador, que já ganhou o prêmio na categoria “Inovação” da revista Fundações e Obras Geotécnicas.

As dimensões da torre de desidratação são as seguintes:

  • Largura: 4,74 m
  • Comprimento: 4,45 m
  • Altura: 6,81 m

Veja quais são as especificações:

EQUIPAMENTO
Vazão máxima de alimentação de lodo – 23 m³/h
Volume da torre – 11,5 m³
Potência consumida por ciclo – 0,06 KW
Potencial total instalada* – 5CV
Tensão de alimentação – 380 VCA-3F
Peso total do conjunto vazio – 3.800Kg
Peso total do conjunto cheio – 16.000Kg
(*) Exclusa bomba de alimentação e sistema de polímero
(**) Valores aproximados

SENSORES
Sensor de nível
Sensor de presença de caçamba
Sistema de produção de abertura da porta
Sistema de detecção de presença
Tempo total do ciclo – 4:00 horas
Teor de sólidos de entrada – 1,5%*
Teor de sólidos de saída – 18,0%*
(*) Indicadores podem variar: tempo, teor de sólidos e densidade, conforme o funcionamento e tipo de origem do lodo.

Fale Conosco

Desenvolvemos soluções de engenharia para indústrias e setores de infraestrutura

Cases Relacionados

Conheça nossos projetos de destaque:

Mineração

Acidente ambiental

Acidente ambiental

Mercados Atendidos

Expertise em atuar em empresas diversas.

Entre em Contato

Caso você tenha dúvidas ou queira informações adicionais estaremos à disposição para lhe atender!