Tratamento, Reuso e Reciclagem de Água

No Brasil, os recursos hídricos são classificados de acordo com seus usos e apresentam padrões de qualidade específicos para cada tipo de utilização – consumo humano, preservação do equilíbrio em comunidades aquáticas, recreação, irrigação, aquicultura e atividades de pesca, navegação, entre outros. Dentro desta enorme variedade, a gestão hídrica é fundamental.

O controle de qualidade das águas é um importante instrumento de manejo para permitir que cada curso de água mantenha suas características. É necessário ser eficiente ao utilizar os recursos, ter igualdade na alocação das águas entre todos os grupos socioeconômicos, e proteger os ecossistemas e recursos hídricos de forma integrada.

A Allonda oferece diversos tipos de serviços para otimizar a gestão hídrica de indústrias, incluindo na gestão operacional dos sistemas diferentes projetos. Veja alguns exemplos:

  • Coordenação e elaboração de planos estratégicos de recursos hídricos
  • Conservação dos recursos hídricos e otimização da capacidade de abastecimento de água do município
  • Recuperação de cursos d´água
  • Implantação de sistemas de controle de enchentes
  • O&M para cursos d’água, lagos e reservatórios, para controle de emergências, incluindo manutenção de equipes de prontidão, e para sistemas integrados e isolados de água e esgotos, com ou sem investimento
  • Melhoria nos sistemas de gestão do uso do solo urbano
  • Identificação de áreas contaminadas e de potenciais riscos à população
  • Revitalização de áreas contaminadas ou com passivos ambientais para uso urbano
  • Sistemas de Tratamento de Águas para diversos fins
  • Sistemas de Tratamento de esgotos e efluentes industriais para diversos fins
  • Otimização do uso de recursos hídricos e diminuição de perdas
  • Planejamento de obras de gestão hídrica

Mercados de atuação

Tratamento, Reuso e Reciclagem de Água

Solicite um orçamento

Preencha um formulário rápido e receba o contato de nossos consultores.

Planejamento de projetos de gestão hídrica

Previstos pela Política Nacional de Recursos Hídricos, os Planos de Recursos Hídricos são documentos que definem a agenda de uma região, incluindo informações sobre ações de gestão, projetos, obras e investimentos prioritários. Além disso, fornecem dados atualizados que contribuem para o enriquecimento das bases de dados da ANA (Agência Nacional de Águas).

A partir de uma visão integrada dos diferentes usos da água, os planos são elaborados em três níveis: bacia hidrográfica, nacional e estadual. Eles contam também com o envolvimento de órgãos governamentais, da sociedade civil, dos usuários e de diversas instituições que participam do gerenciamento dos recursos hídricos.

Outro instrumento da política utilizada pela ANA no âmbito do planejamento é o enquadramento dos corpos d’água, que estabelece o nível de qualidade a ser alcançado ou mantido ao longo do tempo.

Problemas durante o planejamento podem resultar em falhas nos futuros projetos, obras, expansões e investimentos em obras de gestão hídrica (adução, tratamento, distribuição), impactando diretamente na qualidade da água.

Cuidados especiais em projetos de gestão hídrica

Aproximadamente 80% da água disponibilizada para o consumo humano é convertida em esgoto. Caso este montante não seja devidamente coletado e tratado, há um sério risco de comprometimento dos mananciais. Sendo assim, a captação para abastecimento de água dos rios, receptores do esgoto tratado ou in natura, pode ser prejudicada.

Outro grande problema na área hídrica no Brasil é a exploração desenfreada de recursos sem avaliação prévia dos impactos daquela atividade. Por isso, trabalhos como os realizados pela Allonda são tão relevantes para a segurança hídrica de empresas e pessoas.

O reflexo de uma gestão hídrica bem feita se dá na redução dos custos de coleta e tratamento dos resíduos gerados, por exemplo. Este trabalho também diminui a necessidade de realizar grandes projetos de despoluição dos cursos hídricos.

Há ainda melhoria na drenagem de áreas urbanas e rurais, assim como menor comprometimento dos mananciais e recursos hídricos subterrâneos.

A gestão hídrica se faz importante por conta dos diversos usos da água – consumo humano, preservação do equilíbrio em comunidades aquáticas, recreação, irrigação, aquicultura e atividades de pesca, navegação etc. Dentro deste contexto, o controle de qualidade das águas é um importante instrumento de manejo para permitir que cada curso d’água mantenha suas características.

Reuso e/ou reciclo de água

Aplicando os conceitos da economia circular, em que as sobras são reaproveitadas em novos ciclos em vez de serem descartadas, os projetos de sistemas de reciclo ou reuso de água são fundamentais para o equilíbrio operacional das empresas. Muitas vezes a disponibilidade ou custo da água é um fator decisório para a implantação de uma empresa em um determinado local.

Do ponto de vista social, o reuso ajuda na manutenção dos corpos hídricos voltados ao abastecimento, além de contribuir para toda a cadeia produtiva gerando empregos diretos e indiretos. Do ponto de vista econômico, a implantação deste sistema contribui para a redução de custos de captação de água da indústria, incluindo produtos químicos e energia elétrica para tratamento, além de minimizar os impactos ambientais gerados.

Os sistemas de reciclo ou reuso visam reduzir a captação de água bruta, minimizando a produção de efluentes e diminuindo os custos das empresas e o quadro de escassez hídrica no país – principalmente em locais com baixa oferta hídrica ou com demanda superior a capacidade de produção.

A Allonda possui larga experiência neste mercado e se destaca por contar com uma equipe de engenharia dedicada à área de tratamento de efluentes e vasta experiência em gestão de águas e implantação e operação de sistemas de reciclo ou reuso. Os inúmeros projetos de dimensionamento de estações de tratamento de efluentes industriais e sanitários que já realizamos são um importante diferencial na hora de construir uma solução economicamente viável.

Além disso, a Allonda dispõe de estrutura para desenvolvimento e construção dos equipamentos próprios, o que permite criar soluções customizadas para cada projeto.

Aplicações de água de reuso

  • Irrigação paisagística: parques, cemitérios, campos de golfe, faixas de domínio de autoestradas, campus universitários, cinturões verdes, gramados residenciais
  • Irrigação de campos para cultivos: plantio de forrageiras, plantas fibrosas e de grãos, plantas alimentícias, viveiros de plantas ornamentais, proteção contra geadas
  • Uso industrial: refrigeração, alimentação de caldeiras, água de processamento
  • Recarga de aquíferos: recarga de aquíferos potáveis, controle de intrusão marinha, controle de recalques de subsolo
  • Usos urbanos não-potáveis: irrigação paisagística, combate ao fogo, descarga de vasos sanitários, sistemas de ar-condicionado, lavagem de veículos, lavagem de ruas e pontos de ônibus

Impactos negativos do uso indiscriminado de água

  • Consumo maior de recursos hídricos, principalmente de água potável
  • Desequilíbrio na sustentabilidade
  • Aumento de lançamento de efluentes em corpos hídricos
  • Investimentos altos com retornos baixos
  • Baixa conservação de água
  • Desestímulo à autossuficiência dos recursos hídricos

Como aplicar um projeto de reuso de água

O primeiro passo é entender todo o balanço hídrico para definir a vazão de água bruta captada e a vazão de água a ser tratada para reuso. A partir de um estudo abrangente com todos os efluentes gerados da indústria e com a vazão de água bruta captada é possível desenhar um projeto adequado.

Para isso, a Allonda conta com um time multidisciplinar capaz de aplicar conhecimentos em Hidrologia, Hidráulica, Geologia, Biologia do Tratamento de Efluentes, Sistemas de Tratamento de Água, Mecânica dos Fluidos, Estudos de Tratabilidade e Engenharia Química na projeção de um sistema de reuso eficiente.

Esse processo deve se adequar à norma NBR Nº 13.969, que regula o tratamento complementar e a disposição final dos efluentes líquidos. As principais rotas tecnológicas para tratar o efluente sanitário e industrial a fim de enquadrá-lo nessa classificação são:

  • Tratamentos secundários e terciários de esgotos e efluentes
  • Filtração, incluindo filtração com leitos adsorventes
  • Desinfecção para a remoção de parasitas, bactérias e patógenos
  • Ultrafiltração – MBR (Membrane Bio Reactor)
  • Osmose Reversa

Um dos pontos mais importantes em projetos de reuso de água é a gestão de riscos, que envolve a desinfecção correta do efluente. Neste processo, é necessário garantir segurança sanitária, uma vez que os efluentes possuem contaminantes químicos e biológicos que podem trazer risco à saúde humana.

Estudos de caso

Conheça alguns projetos relacionados.

Saneamento

Aumento de eficiência no tratamento de água para a população

Mineração

Estação de tratamento de águas pluviais para reuso em terminal portuário

Saneamento

Ampliação da rede coletora de esgoto

    Abrir bate-papo
    Olá!
    Como podemos ajudá-lo?