Um estudo mencionado pela Legis Compliance diz que empresas que possuem práticas ESG são mais valorizadas, possuem melhor reputação, reduzem riscos e atraem mais talentos. Ou seja, está na hora de você entender com mais profundidade o que é a governança corporativa do ESG dentro da indústria de mineração.

Nos últimos anos, todas as companhias da B3, especialmente as empresas de mineração de capital aberto, precisaram respirar fundo e criar estratégias focadas no meio ambiente devido aos impactos ambientais negativos gerados pela indústria.

A questão é que há diversas maneiras de mitigar esses impactos negativos, ações que, além de tudo, ainda irão resultar nas vantagens citadas acima: valorização, reputação etc. Para entender como, leia abaixo os seguintes tópicos:

  • O que é a governança corporativa do ESG
  • O que significa impactos ambientais da mineração
  • As empresas de mineração de capital aberto ESG
  • Como minimizar os impactos ambientais negativos da mineração
  • Por que ser uma empresa de mineração ESG

O que é governança corporativa ESG

Entender o que é governança corporativa é simples quando a gente vê o estudo da B3. Em um dos arquivos online, ela mostra que nos anos de 1950 havia uma espécie de “ignorância” com relação ao entendimento das empresas sobre os seus impactos socioambientais.

Conforme as décadas foram passando, essa ideia foi se modificando e ganhando relevância global. Assim, passou pelo que a B3 chamou de “adaptação resistente”, “além da obrigação”, “mudança de rumo” até chegar ao tópico de “parcerias para o novo modelo de gestão”, a partir dos anos 2000.

É a partir desse ponto que as empresas de mineração de capital aberto, as de capital fechado e também de outros setores começaram a entender que o bom desempenho financeiro não é o único critério que oferece valor à empresa, considerando o ponto de vista do investidor.

“Investidores e analistas estão cada vez mais atentos à maneira como as empresas lidam com fatores socioambientais e de governança corporativa”, afirma a B3.Como mitigar os impactos ambientais negativos da mineração

Com a ideia de ESG, muitos investidores começaram a olhar para as empresas de mineração muito além das finanças. Assim, a sigla se tornou um dos critérios para avaliar investimentos e, portanto, para as tomadas de decisões dos gestores.

Um planejamento estratégico alinhado aos fatores  ESG, considera aspectos ambientais, sociais e de governança e assegura a sustentabilidade em todas as esferas da organização.

Na mineração, considerar metas para controle e mitigação dos impactos ambientais negativos causados por suas atividades é fundamental para garantir os objetivos dessa estratégia.

Sabemos que a extração e beneficiamento de minério apresenta inúmeros riscos tanto para os funcionários, como exposição a ruído, poeiras minerais, energias elétrica e mecânica, como para as comunidades em seu entorno, como vimos nos últimos anos com o desabamento de barragens. 

Práticas responsáveis devem ser mantidas em toda a cadeia de processamento de minerais, durante o período de operação da mina. Entre as medidas, podemos citar ações para gerenciamento de riscos, esforços para proteger as comunidades locais, além de protocolos de saúde e segurança com diretrizes voltadas para circulação de pessoas, transporte de materiais, instalações elétricas, proteção contra incêndios e explosões acidentais, proteção contra inundações, entre outros pontos críticos, garantindo, assim, o bem-estar dos funcionários e comunidade.

A gestão da água também é extremamente importante para que a indústria de mineração se mantenha sustentável e economicamente viável. Segundo o Relatório de Conjuntura de Recursos Hídricos 2017, elaborado pela Agência Nacional das Águas (ANA), a mineração é responsável pela retirada de 1,6% de água no país, o que corresponde a 1,024 bilhão de metros cúbicos ao ano. 

De acordo com o estudo “Mineração e Economia Verde”, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), é possível obter uma economia de mais de 80% no uso da água no processo produtivo da mineração. Confira o artigo sobre Como Equilibrar o Balanço Hídrico em Operações de Mineração.

Os grandes volumes de rejeitos gerados pela operação também é outro ponto de atenção. E investir em soluções para lidar de maneira sustentável com esses resíduos trará benefícios tanto ambientais como econômicos. Você pode saber mais sobre o Gerenciamento de Resíduos Sólidos na Área de Mineração clicando aqui.

O problema é quando a empresa não está ligada ao ESG! Isso porque ela pode ser vista como uma empresa de mineração que gera impactos ambientais negativos e não positivos. Ou seja, tudo o que falamos aqui se perde!.

As empresas de mineração de capital aberto ESG

Sim, se você está procurando por essa resposta, saiba que existe sim uma lista de empresas ESG na B3. E isso é bastante valioso para investidores da bolsa de valores brasileira. Porém, essa não é uma lista tão acessível assim. Ou seja, não basta clicar e ir até ela.

O que acontece é que dá para saber quais as empresas ESG da bolsa de valores se a gente considerar os índices que existem, como é o ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial). Ele é um dos indicadores das empresas que focam em gestão sustentável e responsável.

Outra dica dos analistas financeiros é prestar a atenção sobre o relatório de sustentabilidade das ações listadas na bolsa. Por fim, vale a pena ver notícias sobre aquela companhia para saber como ela se posiciona com relação ao meio ambiente.

  • Os investidores precisam de informações socioambientais
  • Com essas informações, eles tomam decisões mais completas

Após todo esse estudo, o investidor vai notar que uma empresa de mineração ESG ou de outro setor é aquela que tem base concreta em pilares como de energia, água, resíduos e outros assuntos com relação direta à sustentabilidade.

Por que ser uma empresa de mineração ESG

Se a sua empresa não está na lista da ESG da bolsa de valores ou se está, mas você já viu que dá para melhorar esse tipo de governança, então, pode ser que você só precise saber como fazer isso, não é verdade? E nós temos alguns insights que valem a pena conhecer.

 Por exemplo, no  documento da B3,  é possível verificar os principais pontos que são avaliados para dizer se uma empresa fará parte do grupo ESG ou não..

E a gestão ambiental é um dos aspectos avaliados. Nós temos ainda outras 3 matérias que tocam nesse assunto de forma mais detalhada e você pode ler abaixo:

Com isso, podemos ver que  alinhar a estratégia das mineradoras com as práticas ESG pode ser muito vantajoso, tanto no âmbito ambiental, quanto para redução de custos. E a Allonda tem trabalhado  constantemente para desenvolver soluções mais sustentáveis, que considerem todos os pontos apresentados acima. 

Newsletter Allonda

Agora, com mais entendimento sobre  o que é governança corporativa ESG e sua importância para as empresas de mineração de capital aberto,  há uma boa motivação para se tornar uma empresa ESG de capital aberto. E é nesse sentido que a Allonda pode ser a sua parceira de engenharia e de negócios.