Os aspectos relacionados à Economia Circular envolvem o reaproveitamento de materiais residuais, como você já sabe. O que vamos abordar neste texto é como esse processo cíclico também está relacionado à agricultura regenerativa.

De acordo com o documento, Agricultura Orgânica e Agroecologia: Questões Conceituais e Processo de Conversão, publicado pela Embrapa, a agricultura regenerativa é “um termo ligado à possibilidade de produzir recuperando o solo”. O objetivo é promover a regeneração de todo o sistema de produção de alimentos.

Os processos realizados na agricultura ecológica têm como objetivo recuperar o solo empobrecido, mantendo altas quantidades de matéria orgânica no solo, valorizando a biodiversidade e mantendo um cultivo mínimo da terra.

Biodiversidade: a promoção da biodiversidade é um dos pontos importantes na agricultura regenerativa, o que abre possibilidade para o cultivo de outras culturas na mesma terra, ajudando a nutrir melhor o solo. Além disso, áreas de plantio também são utilizadas como pasto de gado, estimulando o crescimento das plantas.

Produção em ciclos: os processos da agricultura regenerativa produzem o mínimo de rejeitos e reaproveitam tudo o que é gerado através dos processos da terra, funcionando em ciclos produtivos. Como a Economia Circular, que busca reaproveitar os resíduos no mesmo ou em um novo ciclo de uso.

Podemos dizer que o conceito de química verde, que busca reduzir a poluição ambiental diminuindo e até eliminando o uso de substâncias perigosas também inclui a agricultura regenerativa como aliada nesse conjunto de ações para o desenvolvimento sustentável, a que propõe a Economia Circular em todos os seus aspectos.